Paradidáticos: 3 dicas para usar esses livros em sala de aula 25 de abril de 2019 – Postado em: Artes, Ciências, educação, inovação, Leitura, Literatura – Tags: , , , , , , ,

Livros didáticos, de referência e de literatura são de comum entendimento e uso dos professores. E os livros paradidáticos? Inclua essas novidades no seu plano de trabalho!

A palavra “paradidático” refere-se mais propriamente à forma de usar livros existentes do que a um tipo específico de livro. Para você entender melhor, seguem três exemplos de livros paradidáticos da Alfa e Beto Soluções:

 

  • Livros Decodificáveis: usados em diversos países para acompanhar o processo de alfabetização. Esses livros são desenvolvidos como leitura complementar ao livro didático usado para alfabetizar. Os textos dos livros paradidáticos apresentam histórias que são baseadas apenas nos fonemas e grafemas já estudados pelas crianças. Isso permite que elas leiam com segurança todas as palavras usadas no livro. Alguns livros decodificáveis utilizam algumas palavras recorrentes (especialmente artigos, pronomes e preposições) ou mesmo algumas ilustrações para tornar a leitura mais variada. Um bom exemplo é a Coleção Pequenos Leitores.

 

  • Livros Graduados ou Livros de Leitura Graduada: elaborados com o objetivo de desenvolver fluência de leitura. Esses livros são desenvolvidos com base em critérios rigorosos referentes ao vocabulário, sintaxe, tamanho das letras e dos textos. Seu objetivo é promover o desenvolvimento gradual (daí o termo “graduado”) da fluência de leitura. Os títulos da Coleção Leituras para o Ensino Fundamental I fazem isso de uma forma muito criativa e interessante para a criança.

 

  • Livros Paradidáticos para desenvolver conceitos ou conteúdos: abordam conteúdos previstos nos programas de ensino e nos livros didáticos – mas o fazem de uma forma livre. O objetivo é sempre informativo, mas a forma é livre. Muitas vezes têm a forma de uma aventura ou usam um personagem para transmitir conceitos, ideias ou mesmo valores como a sustentabilidade e a diversidade.

 

Confira três dicas para usar os paradidáticos em sala de aula!

 

  1. Substituir o livro didático – Neste caso, o professor não adota um livro específico e utiliza livros ou trechos de livros e materiais de referência.

 

  1. Complementar o livro didático – O professor usa outros livros quase sempre indicados no próprio livro didático e que podem conter leituras de aprofundamento, exercícios adicionais, explicações, textos de referência, estatísticas ou materiais adicionais necessários para atingir os objetivos previstos no livro didático.

 

  1. Enriquecer o livro didático – Qualquer livro poderia se encaixar nessa categoria, desde que, é claro, seja pertinente ao tema estudado. Mas nesse caso, trata-se de algo que vai além, não é essencial para realizar o propósito do livro didático.

 

E você, professor, já usou os paradidáticos? Conte pra gente como você faz!

« Coleção de livros Destrava Língua – Faça seus alunos aprenderem rindo
Entrevista | Denise Mazzuchelli – Heróis, vilões e a escola »